5 Dicas Sobre Como Investir em Startups

0
73
Como Investir em Startups
Como Investir em Startups (Foto: istockphoto)

Veja 5 Dicas sobre como investir em startups: investimento anjo, investimento semente ou seed, Série A, B, C… e plataformas de investimento.

Mas escolher o melhor para você depende de vários fatores.

Você precisa compreender o risco que está disposto a correr, o tamanho do portfólio que pretende construir, o valor que pode investir em cada startup e o tempo de retorno esperado do investimento.

O risco que você correrá é inversamente proporcional ao estágio em que a empresa se encontra. Quanto mais jovem a empresa, maior o risco.

Tal como acontece com o tempo de retorno, quanto mais cedo você começar, maior será o tempo de retorno. Mas se o projeto for bem sucedido, o retorno do investimento também será maior.

Construir um portfólio é uma ótima maneira de mitigar o risco de investimento, pois se algumas das empresas do seu portfólio derem errado, aquelas que derem certo compensarão as perdas e gerarão margens de ganhos.

Por isso é sempre importante considerar o valor total disponível, pois isso definirá quanto você poderá investir em cada startup do seu portfólio.

Para facilitar sua análise, veja abaixo os diferentes tipos de investimentos em startups, sendo quatro deles para pessoas físicas.

5 dicas sobre como investir em startups

  • Via Aceleradoras: O investimento é feito via aceleradora (um tipo moderno de incubadora de empresas), que investe em startups que estão em fase inicial, ou seja, o investimento é de alto risco.
  • Via Investimento Anjo: Nessa opção o investidor fará o investimento diretamente em empresas que também estão em fase inicial.
  • Via Investimento Semente ou Seed: Uma modalidade para um público com alto perfil de renda. Esses investidores montam fundos que captam de vários outros investidores e conseguem realizar aportes em várias empresas, aumentando as chances de acertarem.
  • Via A, B, C (…): Série A se trata da primeira rodada de investimentos realizada junto à fundos de venture capital, recebendo investimentos significativos junto à investidores profissionais. As séries B, C, D… são as rodadas seguintes à essa primeira.
  • Via Plataforma de Investimentos: Existem muitas plataformas no Brasil que permitem que os investidores façam aportes em startups por meio de crowdfundings (financiamento coletivo). Exemplo: EqSeed, StartMeUp, EuSócio e CapTable.

Se gostou do conteúdo, curta, comente, nos avalie e considere nos seguir nas redes sociais!

Leia também

Siga nossas redes

Instagram

Facebook

Rate this post