Alta da Selic: 10 Ações que se Beneficiam

0
126
alta-da-selic-10-acoes-que-se-beneficiam
(Foto: istockphoto)

A recente série de altas da taxa Selic trouxe a renda fixa de volta aos holofotes para os investidores.

No entanto, esta não é a única classe de investimento que poderá se beneficiar com a alta das taxas de juros.

É claro que investir no segmento de bolsa perde o apelo com a Selic alta. Mas há ações que podem aproveitar esse aumento, e é isso que veremos a seguir.

Então, se você tem dúvidas sobre em quais setores investir em um momento de juros mais altos, continue lendo e veja o que os especialistas têm a dizer sobre isso!

Inflação

Em primeiro lugar, é importante contextualizar o aumento da taxa de juros no cenário de alta inflação que vivemos atualmente.

Em tese, a Selic está subindo para conter a inflação. De acordo com um relatório Focus divulgado no início de maio, o IPCA (índice oficial de inflação do Brasil) deve superar a meta do banco central.

Em abril, a previsão de inflação acumulada para o final de 2022 era de 6,97%. Hoje, o mesmo relatório apontou expectativas de inflação de 7,89%.

Dito isso, a inflação persistirá por um bom tempo em nossas vidas e possui relação com o aumento das taxas de juros.

Com isso, algumas ações acabam se beneficiando da alta da Selic e da inflação ao mesmo tempo.

Ações que mais se beneficiam com o aumento da Selic

Normalmente, neste caso, o primeiro setor beneficiado que lembramos é o setor financeiro, como bancos e seguradoras.

No caso dos bancos, a moeda mais cara também faz aumentar os spreads, o que influencia diretamente as margens brutas dessas instituições.

Por outro lado, as seguradoras têm aumentado suas receitas de investimentos, uma vez que a maior parte de seus recursos é aplicada em renda fixa atrelada ao CDI. Além disso, as empresas reajustam seus contratos pela inflação.

Na edição de outubro de 2021 da revista Estadão, Rodrigo Friedrich, Head de renda variável da Renova Invest, citou empresas do setor alimentício como Grupo Mateus (GMAT3), Assaí (ASAI3) e Carrefour (CRFB3).

“Quando a inflação sobe, as empresas do ramo aumentam o preço do produto final. Dessa forma, elas não são prejudicadas pela alta dos juros”, disse o gestor.

Ainda segundo ele, outras empresas que poderiam se beneficiar com os preços mais altos são as concessionárias de rodovias, como a EcoRodovias (ECOR3) ou a CCR (CCRO3), que também conseguem repassar a inflação através dos preços.

André Rolha, chefe de renda fixa e câmbio da Venice Investimentos, também destacou outras empresas com contratos indexados à inflação, como os setores de energia elétrica, saneamento, concessionárias de rodovias e exportadoras. É o caso, por exemplo, da Vale (VALE3), Taesa (TAEE11), WEG (WEGE3), SLC Agrícola (SLCE3) e PetroRio (PRIO3).

Leia também

Siga nossas redes

Instagram

Facebook

Rate this post