CDB – O que é? Como Investir?

0
470
cdb-o-que-e-como-investir
Como Investir no CDB. (Foto: Adobe/stock)

CDB é a aplicação feita diretamente em Certificados de Depósito Bancário.

Quando você investe em um título de renda fixa, você está emprestando dinheiro ao emissor do título, que pode ser uma instituição bancária, uma empresa ou até mesmo o governo.

Em contrapartida, ele recebe uma compensação na forma de juros e/ou correção monetária por determinado período de tempo e também pode receber parcelas conhecidas como amortizações.

No caso do CDB, trata-se de um empréstimo ao banco emissor que é remunerado a um percentual da taxa DI ou IPCA.

Este investimento é oferecido por corretoras e bancos para captar recursos e ganhar juros prefixos ou pós-fixados, superiores à poupança.

Geralmente o CDB rende mais do que poupança, mas é difícil definir o quanto, pois esse investimento oferece taxas de juros diferentes para cada título dependendo da instituição financeira, prazo, carência e valor mínimo.

Este investimento oferece duas principais modalidades de rendimentos, a pré-fixada com uma taxa anual pré-fixada antes da compra e a variável, que está relacionada à variação do CDI (Certificado de Depósito Interbancário, que é o título de empréstimo entre bancos e financeiros instituições).

Entenda…

CDB e CDI são termos distintos: CDB é o título de renda fixa adquirido como investimento, enquanto o CDI é um índice que serve de referência para definir as rentabilidades, usado na divulgação dos títulos.

É de fundamental importância para o investidor saber que o CDI segue a  Taxa Selic, bem de perto. A Taxa Selic, é a taxa básica da economia definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Em resumo, Selic é quanto o governo paga de juros pelos títulos da dívida pública que é comprada principalmente pelos bancos.

Então, se um título CDB promete um retorno de 100% do CDI, ele praticamente paga a variação da SELIC, ou seja, o CDI está muito próximo da Selic.

Por exemplo, o CDI em 2016 era de 14% – e a Selic também estava nesse patamar. Isso significa que um investimento com rentabilidade de 100% do CDI teve rentabilidade de 14% naquele ano.

Como funciona o CDB?

Para entender como funciona, você precisa entender a atividade mais importante (e lucrativa) que um banco realiza: pedir dinheiro emprestado para emprestá-lo.

Os bancos geralmente emprestam grande parte do dinheiro que depositamos à vista ou a prazo.

Depósito à vista é o valor que temos disponível em conta corrente. O banco tem um limite para emprestar esse dinheiro, mas por outro lado eles não nos pagam juros.

Com os depósitos a prazo fixo (CDBs) alocamos ao banco um determinado valor por um período pré-acordado, e no final, o valor será acrescido de uma taxa de juros (pré-fixada ou pós-fixada igual ao Tesouro Direto) e será devolvido para nós. É assim que um CDB funciona.

Desta forma, após escolher uma corretora ou banco, encontre as melhores opções de títulos disponíveis e as que mais se enquadram no seu perfil.

Faça então o investimento com o valor desejado para a aplicação. Na data de vencimento do título, você receberá o valor investido mais todo o seu rendimento do período.

De olho no Leão

Porém, lembre-se que incide imposto de renda sobre o CDB: o IR é regressivo e varia de 22,5% a 15%, dependendo da data de aplicação.

Quem deixar seu dinheiro no CDB por menos de 30 dias deve pagar IOF, além do IR, um imposto de curto prazo mais agressivo, que é de 96% para um dia de aplicação e 0 para aplicações acima de 30 dias.

Por outro lado, não existem taxas de administração, performance ou custódia no CDB. Outro benefício é a proteção do Fundo Garantidor de Crédito, que garante o saldo do investimento até o teto de R$ 250 mil por CPF por instituição financeira, e a liquidez diária que libera o acesso aos recursos quando o investidor deseja, mas é preciso ter cuidado, pois nem todos os títulos têm liquidez diária.

Tipos de CDB

Existem vários tipos de CDB, que levam em consideração diferentes prazos, carências, contribuições mínimas e receitas. Se você pensar apenas na classificação do título, existem três categorias:

  • Prefixado: Os rendimentos prefixados são aqueles em que você sabe exatamente quanto eles trarão ao longo do tempo.
  • Pós-fixado: As taxas de juros pós-fixadas costumam ser atreladas ao CDI, que é referência para instituições financeiras.
  • Híbrido: O rendimento híbrido é menos comum, geralmente associados à inflação. Esse tipo de título tem uma taxa anual fixa (por exemplo, 5%) mais a variação do IPCA, o que significa Índice de Preços ao Consumidor Amplo (índice de inflação oficial do Brasil).

Como Investir em CDB

Em primeiro lugar, você precisa abrir conta em uma corretora ou em um banco. Em seguida, descubra o seu perfil de investidor, saiba mais sobre os títulos, descubra o que é ideal às suas necessidades e faça seu primeiro investimento.

O rendimento do CDB varia de acordo com a instituição financeira que o oferece. Cada uma tem muitos títulos desse tipo com diferentes vencimentos, tipos de rendimento e requisitos de capital mínimo.

Uma regra básica em sua pesquisa é ter em mente que a maior valorização geralmente está relacionada à maior duração e aporte do investimento.

Os títulos de longo prazo geralmente oferecem as melhores taxas de juros. Esse é o caso da maioria das instituições financeiras e da maioria dos títulos.

Prazos de aplicação

É importante mencionar que o CDB possui prazos, de carência ou vencimento. Em outras palavras, sacar seu dinheiro não é tão fácil quanto em contas de poupança, por exemplo, pois a liquidez pode não ser tão grande.

Cada instituição financeira define as datas de vencimento e os períodos de carência para cada título. Existem CDBs com liquidez diária, outros com liquidez diária a partir de um período de tempo, outros que só podem ser resgatados no vencimento etc.

Portanto, é importante prestar atenção aos detalhes e fazer um planejamento financeiro para saber o quanto você tem para investir em investimentos de longo prazo.

Prazo de Vencimento

O prazo de vencimento de um título CDB é a data em que o valor original do investimento mais os juros acordados no contrato são pagos. No resgate também se cobra o imposto de renda.

Existem instituições financeiras que não permitem o resgate antecipado. Portanto, é bom ficar atento ao investir.

Alguns CDBs oferecem liquidez instantânea e diária. Por outro lado, este tipo de títulos não costuma entregar retornos tão interessantes quanto aqueles com período de carência ou com liquidez apenas no vencimento.

Prazo de carência

A partir da data de carência você pode resgatar seu CDB com liquidez imediatamente. Mas atenção: há muitos CDBs que oferecem carência na mesma data de vencimento, o que significa que você tem que levar o título até o fim.

Investimento mínimo em CDB

O investimento mínimo para um investimento em CDB pode variar de acordo com o título e corretora ou banco. Por exemplo, pode começar em R$ 1.000,00.

Para investidores com valores menores existem outras alternativas como LCI, LCA ou Tesouro Direto.

Margem de garantia do CDB

As aplicações de Renda Fixa como o CDB podem servir como margem de garantia para operações em contratos futuros na Bolsa de Valores de São Paulo.

Assim, esse valor do CDB poderá servir como garantia na negociação de derivativos como contratos agrícolas, índice e dólar futuro.

No entanto, lembre-se de que você pode expor seus investimentos em renda fixa ao risco, pois esse processo cria uma alavancagem.

Conclusão

O CDB é um dos mais conhecidos investimentos em títulos de renda fixa, mas antes de investir sempre considere qual título é o melhor para o seu perfil.

Além do rendimento, avalie os prazos de carência e vencimento dos títulos. Portanto, se você estiver interessado, encontre seu corretor de confiança para que possa investir.

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário!

Rate this post