Como investir em renda fixa com a alta da SELIC

0
612
como-investir-em-renda fixa-alta-selic
(Foto: Adobe/Stock)

Depois de alguns anos com índices baixíssimos na taxa Selic, o Bacen (Banco Central) determinou o aumento da taxa. Apesar de, no primeiro momento, não se tratar de um aumento significativo ainda é esperado um novo aumento, tendo projeções de ao menos 5% a.a. até o final de 2021. Como isso impactará os investimentos em renda fixa?

O que é SELIC?

A SELIC é a taxa de juros básica da economia, estando sempre associada a índices como IPCA, tendo em vista que é uma ferramenta utilizada para controlar a inflação. Ela é determinada pelo Banco Central do Brasil, sendo referência para outras instituições financeiras que balizam suas taxas de acordo com essa informação.

Na prática, quando a SELIC está baixa os juros de empréstimos de dinheiro são menores, as ofertas de renda fixa ficam menos atrativas, bem como, os investidores começam a investir mais em rendas variáveis, buscando prêmios maiores para seus investimentos, mesmo tendo um risco mais elevado.

Por outro lado (SELIC subindo), aumentam as taxas para empréstimos, diminui a quantidade de dinheiro circulando na economia, torna os investimentos em renda fixa um pouco mais atrativos.

Então, de forma bem simples, podemos dizer que o aumento da SELIC traz benefícios para quem quer investir em títulos de renda fixa, portanto, tendo isso em mente, num cenário hipotético, onde a rentabilidade desses títulos estará atrativa, como devemos escolher?

Quais títulos compõem o grupo da renda fixa?

A renda fixa é qualquer tipo de investimento que possuem regras de remuneração definidas, ou seja, o investidor sabe quanto o seu capital irá render no final do período. Entretanto, a renda fixa não é necessariamente fixa. Esse tipo de investimento pode ser dividido em 2 categorias:

  • Prefixados: Taxas combinadas no momento da compra.
  • Pós-fixados: O rendimento varia de acordo com a opção de taxa escolhida.
    • Tradicional: o titulo é indexado a Selic.
    • Misto: indexados ao IPCA (Inflação + taxa combinada) – combina uma taxa variável (IPCA) e um taxa prefixada.

O prefixado é uma renda realmente fixa, a taxa que remunera o capital já está estabelecida, logo no vencimento do título ele irá remunerar exatamente o que estava definido na compra, já os pós-fixados não seguem a mesma linha, esse tipo de titulo é indexado a alguma taxa e seu rendimento é diretamente ligado a ela, para melhor entendimento, siga os exemplos a seguir.

Exemplo 1:

TítuloVencimentoRentab. (Anual)Valor MínimoValor Inteiro
Tesouro Prefixado 202401/07/20247,78%R$ 31,59R$ 789,73
Fonte: Rico Corretora

Título prefixado, a taxa de remuneração de capital está estabelecida, logo, no vencimento o investimento terá rendido 7.78% a.a.

Exemplo 2:

TítuloVencimentoRentab. (Anual)Valor MínimoValor Inteiro
Tesouro Selic 202701/03/2027SelicR$ 106,19R$ 10.619,38
Fonte: Rico Corretora

Título pós-fixado tradicional, indexado a Selic, logo o investidor não terá como saber exatamente quanto irá render no final da aplicação, pois a taxa Selic poderá variar no decorrer do período.

Exemplo 3:

TítuloVencimentoRentab. (Anual)Valor MínimoValor Inteiro
Tesouro IPCA+ 202615/08/20263,39% + inflaçãoR$ 59,04R$ 2.951,88
Fonte: Rico Corretora

Título misto, indexado ao IPCA (taxa variável) + uma taxa pré-fixada, neste exemplo o valor dessa taxa é de 3.39%.

Os tipos de investimento que compõem a renda fixa: Tesouro direto, CDBs/RDBs, LCA/LCI e Debêntures.  

Como escolher o título?

A escolha do melhor investimento é algo muito relativo, pois depende de alguns fatores pessoais, tais como: capital disponível e o tempo que está disposto a deixar esse dinheiro investido, entretanto há uma variável comum, que todos buscam que é a rentabilidade.

Todo investidor gostaria de ter a sua disposição títulos seguros, rápidos e com alta rentabilidade, porém, atualmente, esse tipo de título não existe. Então, o que devemos ter em mente quando formos escolher um investimento?

1 – Todo investimento tem um risco, porém as rendas fixas tendem a ter riscos menores quando comparados a outros investimentos (renda variável);

2 – O tesouro direto é o investimento mais seguro do Brasil, pois sua garantia é o próprio país, então seu risco remete a inadimplência da nação;

3 – Quanto mais arriscado for o investimento, maior será sua rentabilidade.

4 – Quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, maior será o acréscimo ao seu patrimônio.

Com essas informações em mente você começará a definir o tipo de título que irá comprar.

Ao adentrar na sua conta da corretora irá verificar as opções disponíveis no momento, analise se trata de um pré ou pós fixados, observe a rentabilidade (quanto maior, melhor, mas atenção, nem sempre a maior rentabilidade irá fornecer os melhores rendimentos líquidos no vencimento*). Posterior a isso veja o tempo de aplicação do capital e se tem liquidez diária**.

*Grande parte dos investimentos estão sujeitos a alíquota do IR descontado direto no lucro, logo um investimento que tem boa rentabilidade, mas não tem isenção de IR pode acabar rendendo menos que um outro investimento com rentabilidade menor, mas com isenção de imposto.

**Liquidez diária te permite resgatar o dinheiro antes do prazo de vencimento do título, entretanto isso pode render um prejuízo, pois apesar de a renda fixa prometer sempre um saldo positivo no prazo final da aplicação, ela oscila durante o período do investimento.

Como havia falado anteriormente, a escolha do melhor investimento é relativa, mas como forma de facilitar o processo busque responder as seguintes perguntas quando estiver vendo as opções disponíveis:

  • QUANTO TEMPO POSSO DEIXAR ESSE DINHEIRO INVESTIDO?
    • É PRÉ OU PÓS-FIXADO?
    • ESSA RENTABILIDADE ME AGRADA?
    • TEM ISENÇÃO DE I.R.?
    • TEM LIQUIDEZ DIÁRIA?

Algumas corretoras fornecem calculadoras de investimentos no próprio site, use essa ferramenta para estimar o rendimento de sua aplicação, bem como para comparar os resultados entre os títulos disponíveis.

A renda fixa é um tipo de investimento simples e com certa segurança para o investidor, mas como todo e qualquer investimento é sempre importante ter conhecimento sobre ela e não apenas seguir recomendações de terceiros, lembre-se: “Ninguém investirá o seu dinheiro, melhor que você mesmo”.

Rate this post