Passo a passo sobre Como Investir em Ações em 8 Passos

0
21
Como-Investir-em-Ações
(Foto: istockphoto)

De acordo com pesquisa de 2018 da Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro e de Capitais (Anbima), 88% dos brasileiros que investem optam pela poupança. Por outro lado, estima-se que apenas cerca de 0,5% da população brasileira opta por ações e/ou fundos imobiliários.

Qual a razão disso, mesmo sabendo que poupança é o pior investimento e ações vendidas em bolsa estão entre os melhores?

• Poderia ser medo ou preguiça?

• Ou não sabem como investir em ações?

Neste guia passo a passo, você aprenderá Como investir em ações, o que é a bolsa de valores, o que é uma ação, quais os tipos de ações na bolsa, como analisar uma ação e muito mais.

O que é a Bolsa de Valores e como investir em ações?

A bolsa de valores é o ambiente em que essa troca de ações ocorre. Seu trabalho é viabilizar a realização dos negócios garantindo que sejam feitos com segurança, eficiência e justiça, e que você obtenha ações quando comprar e dinheiro quando vender. Ela também garante a proteção e estoque de suas ações.

A bolsa de valores brasileira é a B3, e uma das maiores empresas de infraestrutura do mercado financeiro do mundo.

A B3 foi criado em seu formato atual após a incorporação da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBOVESPA) com a Central de Custódia e Liquidação financeira de Títulos (CETIP).

O que é uma Ação?

As ações nada mais são do que pequenas partes do patrimônio dos sócios de uma empresa. Por exemplo, se um prédio comercial fosse uma empresa e você comprasse uma participação (ação) nesse prédio, seria como possuir um quarto naquele prédio.

Em outras palavras, quando você compra uma ação você se torna dono de uma pequena fração de uma empresa. Além disso, você se torna sócio de outras pessoas, sejam elas investidores individuais (pessoa física) como nós pessoas comuns ou investidores institucionais (pessoa jurídica) como fundos, bancos e até mesmo outras empresas.

Nesse sentido, investindo em ações de uma companhia aberta, você não ganhará salário, não trabalhará lá e nem pode ser demitido. A sua remuneração é baseada na valorização das próprias ações e/ou na distribuição de lucros da empresa (dividendos).

Quais são os tipos de ações na bolsa?

Atualmente existem cinco tipos de ações na bolsa: ações ordinárias, preferenciais, units, BDRs e fracionárias. Nesta postagem, entretanto, comentaremos apenas as duas primeiras.

Ações ordinárias

Ações ordinárias com abreviação ON. Esses tipos de ações dão aos acionistas o poder de votar nas assembleias da empresa para tomar decisões importantes sobre a administração da empresa.

Ações preferenciais

As ações preferenciais apresentam esse nome porque possuem preferência econômica em relação às ações ordinárias, mas seus direitos de voto podem ser reduzidos ou extintos por conta disso.

Alguns dos benefícios econômicos que as ações preferenciais recebem podem ser:

  1. Prioridade no recebimento dos dividendos (fixo ou mínimo);
  2. Prioridade no reembolso de capital;
  3. Direito de tag along;
  4. Dividendos pelo menos 10% maiores do que os oferecidos às ações ordinárias;

Dito isto qual o Primeiro Passo para Investir em Ações?

Passo 1 – Como escolho minha corretora?

Hoje em dia, graças às corretoras, não é mais necessário procurar um banco para investir.

Isso resultou em uma verdadeira revolução no cenário de investimentos no Brasil. Porque, em face da crescente concorrência, os bancos tiveram que se mover para oferecer a seus clientes melhores produtos e serviços.

As corretoras de investimento, no entanto, são a melhor opção para quem deseja investir, em grande parte devido à variedade de produtos que oferecem aos seus clientes.

A grande diferença entre os grandes bancos e as corretoras independentes é a variedade de aplicações que os clientes podem acessar.

Com um corretor de banco, você só pode investir nas aplicações desse banco. Por exemplo, se você deseja investir em um CDB, ficará restrito às aplicações disponíveis naquele banco.

As corretoras independentes trabalham de uma maneira completamente diferente. Lá você pode comprar títulos de vários bancos ao mesmo tempo e encontrar opções de investimento no Tesouro Direto e na Bolsa de Valores.

 Quais fatores devem ser considerados ao escolher um corretor:

  • Primeiro, descubra se é uma corretora regulamentada junto à CVM e ao Banco Central do Brasil.
  • Em seguida, descubra o grau de satisfação dos seus clientes, pesquisando em sites como Reclame Aqui por exemplo.
  • Descubra quais taxas são cobradas pela corretora. Existem corretoras com taxas caras e outras mais baratas. Algumas corretoras têm até mesmo tarifa zero para alguns tipos de operações. Compare-as.
  • Facilidade de uso da plataforma (Home broker).
  • Diversidade de opções de investimentos.
  • Qualidade do serviço oferecido (não se limitando apenas ao SAC, algumas corretoras fornecem também conteúdo educacional, relatórios, ferramentas de análise e etc).

Passo 2 – Abrindo uma conta de investimento

Após escolher sua corretora, siga as instruções em seu site e abra sua conta.

Normalmente não há muita dificuldade ou burocracia envolvida em abrir uma conta de investimento.

Passo 3 – Transferir o dinheiro

Após abrir a conta de investimento, basta transferir o dinheiro para a conta e começar a investir.

Passo 4 – Defina suas metas

Além disso, é importante conhecer suas metas de curto, médio e longo prazo para que você possa determinar quais ativos atenderão às suas necessidades.

E como funciona?

  • Metas de curto prazo – são aquelas que você deseja alcançar em menos de um ano. Por exemplo: reservas de emergência, pequena reforma de casa, festa de aniversário em um buffet, etc.
  • Metas de médio prazo – são as metas que você deseja alcançar dentro dos próximos cinco anos. Pode ser, por exemplo, uma troca de carro, uma reforma da casa ou uma viagem ao exterior.
  • Metas de longo prazo – são aquelas que você imagina daqui a pelo menos cinco anos realizar. Alguns exemplos: faculdade para os filhos, compra de uma casa, recursos para aposentadoria, etc.

Passo 5 – Defina seu plano de investimento

Depois de definidos seus objetivos e metas, agora, defina seu fundo de emergência, ou seja, 6 a 12 meses de suas despesas mensais de vida investidos em algo com liquidez diária. Desta forma, pode ser resgatado a qualquer momento, em caso de necessidade.

Passo 6 – Escolha quais Ações Investir

Em primeiro lugar, quem começa a investir em ações tem grandes dúvidas na hora de escolher boas ações das quais, entre outras coisas, virão os lucros.

Basicamente, você se beneficia quando suas ações estão mais caras, quando suas ações pagam dividendos ou quando você recebe juros sobre o capital próprio.

Dessa forma você pode investir com pouco dinheiro por meio de Fundos de Investimentos em Ações (FIA) ou ETFs e assim se acostumar com a volatilidade.

Como analisar uma Ação

Existem dois tipos básicos de análise que podem ser realizados em um Ação: análise fundamentalista e análise técnica.

  • A análise técnica é amplamente utilizada por operadores e traders. Com base no valor atual de uma ação, eles avaliam aspectos técnicos e gráficos, bem como o volume de negociação no mercado, a fim de determinar quando comprar e vender.

Por outro lado, temos a análise fundamentalista utilizada por grandes investidores como Warren Buffett e Luiz Barsi:

  •  A análise fundamentalista envolve o estudo dos resultados financeiros, a situação macroeconômica, a gestão, a governança corporativa e uma série de fatores que evidenciam a força que uma empresa tem. Esse tipo de análise enfoca a criação de valor e na estratégia de longo prazo dos gestores mais bem-sucedidos da história.

Algumas dicas para quem está começando e não domina essas análises ainda:

  • A primeira dica não poderia ser outra: “Invista em conhecimento, ele sempre renderá os melhores juros”;
  • Em segundo lugar: Escute os especialistas;
  • foco no longo prazo;
  • Procurar empresas sólidas com negócios prósperos e de setores perenes (Por exemplo: Setor bancário, Setor Elétrico e etc);
  • Investir em setores que você conhece;
  • Não colocar todos os ovos numa cesta, ou em outras palavras, não arrisque todo o seu capital em um único ativo;
  • Não invista todos os recursos de uma vez, compre gradualmente ao longo do tempo;

Passo 7 – Acesse o Home Broker

Após determinar as ações que deseja comprar, acesse o home broker da sua corretora e envie sua ordem pelo preço que considerar justo para sua ação. 

Passo 8 – Acompanhe a valorização

Finalmente, lembre-se de acompanhar suas ações, suas valorizações ou depreciação e os motivos de tais flutuações para ajudá-lo a encontrar oportunidades e identificar como comprar ou vender ações e, assim, perceber seus ganhos ou mitigar perdas.

Gostou do Conteúdo? Agora você sabe Como investir em ações!

Se gostou do conteúdo, curta, comente, nos avalie e considere nos seguir nas redes sociais!

Leia também

Siga nossas redes

Instagram

Facebook

Rate this post