Maior Fornecedora de Semicondutores do Mundo, TSMC, Pode ser Afetada pela Escalada das Tensões entre EUA e China

A TSMC, sigla de Taiwan Semiconductor Manufacturing Company, responsável por fornecer cerca de 90% dos chips semicondutores avançados do mundo, está observando com preocupação o aumento das tensões entre os EUA e a China.

Isso porque o avião que transportava a líder da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, democrata, pousou em Taiwan na manhã desta terça-feira (02/08).

A visita provocou conflitos com as autoridades chinesas, que reivindicam território taiwanês e ameaçam invadir a ilha em retaliação à ida americana.

Diante do conflito iminente, o presidente da TSMC, Mark Liu, declarou que uma invasão chinesa tornará suas fábricas "inoperantes" e causará "grande turbulência econômica" que afetará o fornecimento global de semicondutores.

A TSMC tem clientes como Apple, AMD, Nvidia, Sony e Qualcomm, e desempenha um papel vital na economia mundial, sendo conhecida como a "Montanha Sagrada" de Taiwan.

Seus semicondutores são usados para fabricação de carros, computadores, smartphones, eletrodomésticos e até equipamentos de guerra. A companhia é 11ª maior empresa de capital aberto do mundo, com avaliação estimada em 440 bilhões de dólares.

Em entrevista à CNN americana, o CEO da companhia externou o temor de um hipotético controle da empresa pela China, visando prejudicar a economia americana, já que as principais companhias norte-americanas dependem de seus chips.

Em resumo, isso poderia impactar a cadeias produtivas e, consequentemente, ocasionar uma escalada na inflação mundial.

Temendo uma escalada das tensões, as ações da gigante taiwanesa apresentavam forte queda na abertura do pregão, mas às 13h49, subiam 1%, em linha com os índices da Nasdaq e o S&P 500. No Brasil, a maior impacto deve ser visto no dólar, que subiu para 1,1% às 13h45, para 5,23 reais.